Sebá, ex-Cruzeiro, marca de pênalti, e Renato Chaves, ex-Fluminense, é expulso em partida de 11 cartões na Arábia Saudita
Sebá em ação na partida (Foto: Divulgação/Al-Shabab)

Vitória permite que Al-Shabab sonhe com classificação para Champions League da Ásia

Nesta quarta (05/08), o Al-Shabab foi até Mecca enfrentar o Al-Wehda no King Abdul Aziz Stadium, em partida válida pela 23ª rodada do campeonato saudita.

Na reta final do campeonato saudita, a partida importava muito para as duas equipes, que sonham com a classificação para Champions League da Ásia, pro Al-Wehda inclusive, a vitória valia  a permanência no G3 de classficação. Porém, a história não começou muito bem para os donos da casa, pois após um domínio absoluto da equipe treinada pelo português Pedro Caixinha, o VAR deu pênalti e Sebá abriu o placar aos 34 minutos para os visitantes, que ampliaram novamente de pênalti aos 45, com o senegalês, Makhete Diop. Os donos da casa sentiram o golpe, e sem conseguir criar na partida, abriram a caixa de ferramentas, o que funcionou por um tempo, pois intimidado, o Shabab deixou a bola com eles, porém, 5 cartões amarelos depois, aos 22, Diop marcou mais um, e fechou a conta. 3 x 0 para os visitantes.

O jogo não acabou depois do terceiro gol, pois teve muito mais violência rolando em campo. Após dois cartões amarelos quase que seguidos, o ex-Fluminense, Renato Chaves, foi o primeiro expulso na partida, e pouco tempo depois, do lado do Shabab, o senegalês N’Diaye perdeu a cabeça, fez falta violenta, e foi expulso diretamente.

A vitória na partida, que teve no total 9 cartões amarelos e 2 vermelhos, deixou o Al-Shabab à 6 pontos do Al-Ahli, terceiro colocado da competição.

Veja o gol de Sebá na partida:

Além de Sebá e Renato Chaves, outros brasileiros que estiveram na partida, todos pelo Al-Wehda, foram Anselmo, ex-Internacional e Sport, Luisinho ex-Bahia e Santa Cruz, e o ex-Sport e CRB, Élton.

Formado nas divisões de base do Cruzeiro, Sebá foi uma das principais  promessas da geração 92 da equipe mineira, chegando a representar o Brasil nos jogos Pan-Americanos de 2011. Sem muito espaço na raposa, o atacante foi emprestado para o Nacional de Patos de Minas, e posteriormente para o Porto B, até se transferir para o Estoril, clube onde obteve bons números que chamaram a atenção do Olympiacos da Grécia. Em  2018 ele se transferiu para Chongqing Dangdai da China, onde ficou pouco tempo, pois logo se mudou para o Al-Shabab. Nesta temporada ele já anotou 8 gols em 22 jogos.