Everton Cebolinha é anunciado como quarto reforço do Benfica na temporada. Além do Grêmio, Fortaleza também lucra com a venda:

O Benfica anunciou hoje a contratação do atacante Everton Cebolinha que teve contrato assinado por cinco anos. O clube português pagou 20 milhões de euros (cerca de R$ 127, 6 milhões na cotação atual) para ter o ex-jogador do Grêmio na próxima temporada e também terá uma multa de 150 milhões de euros.

Everton é o terceiro brasileiro a ser contratado desde a chegada de Jorge Jesus. Foram anunciados o lateral Gilberto, que estava no Fluminense e Helton Leite, ex-Botafogo que estava no Boavista. O brasileiro foi anunciado junto com o belga Vertonghen e o alemão Waldschimdt. Outro reforço bem especulado é o uruguaio Edinson Cavani.

No time lusitano atuam também o ex-Palmeiras, Carlos Vinicius, o ex-Avaí, Jardel, o ex-Vasco, Gabriel, o ex-Corinthians Pedrinho e o jovem defensor Morato, da base do São Paulo. Os brasileiros tentarão acabar coma a hegemonia que o Porto teve na temporada conquistando todos os títulos nacionais, exceto a Supertaça quando o Benfica bateu o Sporting. O clube foi eliminado da Liga dos Campeões ainda na fase de grupos e também saiu no mata-mata da Liga Europa para o Shakhtar Donetsk.

Everton tem 24 anos e começou sua carreira na base do Fortaleza, se transferindo logo aos 17 anos para o Grêmio, onde foi peça importantíssima conquistando a Copa do Brasil de 2015 e a Libertadores de 2016. Foi o principal jogador do clube gaúcho no tempo que atuou se tornando ídolo gremista com 69 gols e 30 assistências em 274 jogos, chegando a Seleção Brasileira no ano passado e sendo artilheiro da Copa América em 2019.

O Grêmio tinha 50% dos direitos de Everton, lucrando cerca de R$ 63,8 milhões  e manteve 20% de uma futura venda do atleta. O Fortaleza detinha 10% do passe do jogador, além de 1% por ser clube formador, totalizando então cerca de R$ 14 milhões, mas seis milhões devem ser repassado para sanar dívidas com o ex-presidente do clube, Eduardo Girão. O empresário do jogador, Gilmar Veloz detinha 30% do passe e o investidor Celso Rigo também mantinha 10%.