62 técnicos brasileiros treinam equipes fora do Brasil em 32 países diferentes. Confira quem são:
Carille pelo Al Ittihad. (Foto: Divulgação/Al Ittihad)

O futebol brasileiro é o maior exportador de jogadores e consequentemente também existem muitos técnicos atuando fora do Brasil. Segundo o site especializado Transfermarkt são 59 comandantes treinando clubes estrangeiros em 30 países diferentes, sem contar com outros quatro brasileiros que treinam as seleções do Congo, Guiana, Ilhas Virgens dos Estados Unidos (principal e Sub-20). O Brasil só fica atrás da Argentina que tem 68 técnicos espalhados em 22 países.

O país que tem mais técnicos brasileiros é a Tailândia (6), seguido pelo Estados Unidos (5) e o continente que também tem mais aparições é o asiático. Destacamos os oito técnicos mais conhecidos e vitoriosos no exterior e no final uma lista para conferir todos os técnicos, tem ex-jogadores como o zagueiro Cris e os volantes Mineiro e Anderson.

Veja algum dos técnicos mais conhecidos que estão no exterior:

Alexandre Gama

No futebol tailandês, Alexandre Gama conquistou praticamente todos os títulos da sua carreira escrevendo seu nome em vários clubes. Chegou primeiramente no Buriram United, um dos maiores times do país e conquistou um bicampeonato tailandês, além de outros 6 títulos em apenas três anos. Depois foi para o Chiangrai com a missão de tornar o time vencedor e conseguiu conquistar quatro títulos em duas temporadas, sendo contratado depois para dirigir a Seleção Olímpica da Tailândia, mas sem muito sucesso voltou a treinar um clube, dessa vez o Muanghtong, onde não começou muito bem e está na 1oª posição no Campeonato.

Alexandre Gama é mais conhecido no Brasil por sua passagem no Fluminense em 2004 quando tirou o Fluminense da penúltima colocação e levou a sul-americana com jogadores renomados como Romário, Edmundo, Ramon, Roger Flores e Léo Moura e ainda foi campeão mundial de juniores no ano seguinte pelo tricolor das Laranjeiras. Posteriormente passou por Inter de Limeira, Al Wahda, dos UAE, passou também pelo sul-coreano, Gyeognam, Madureira e Duque de Caxias, Al Shahaniya, do Catar, time que levou para a primeira divisão após 33 anos e está desde 2014 no futebol tailandês.

Alexandre treinando o Muangthong. (Foto: Divulgação/Instagram)

 

Antônio Carlos Zago

Antônio Carlos Zago vem fazendo um bom trabalho no Kashima Antlers após começo ruim, onde seu clube começou o campeonato brigando na parte de baixo da tabela. Agora o seu time vem de sete vitórias consecutivas, algo que não acontecia há 11 anos no clube e está apenas cinco pontos atrás da terceira colocação que garante vaga na Liga dos Campeões da Ásia. É sua segunda experiência no exterior após ter feito estágio na Roma e no Shakhtar.

Zago no Brasil não teve um bom começo de carreira e foi estudar na Europa após ter passado por São Caetano e Palmeiras. Após esse período foi vice campeão gaúcho com o Juventude e levou o time para a Série B, sendo contratado pelo Internacional, mas não durou muito tempo na equipe. Depois levou o Fortaleza a Série B após oito anos e assumiu o Bragantino, onde conquistou o Brasileiro da Série B.

Zago durante jogo do Kashima. (Foto: Divulgação/Instagram)

Fábio Carille

A volta de Fábio Carille para o futebol saudita não foi muito boa e o treinador conseguiu salvar a equipe do rebaixamento apenas na última rodada e o clube terminou o campeonato na 10ª posição e caiu nas oitavas de final da Copa Saudita. No clube ele treina os brasileiros Marcelo Grohe, Bruno Uvini, Romarinho e Jonas. Especula-se que Carille pediu a contratação do atacante Romarinho, atualmente no Fortaleza.

Carille teve um destaque rápido no futebol após sair de interino para técnico definitivo do Corinthians e conquistando o Campeonato Brasileiro de 2017. Após muito destaque no Corinthians, foi para o Al Wahda, da Arábia Saudita, mas logo voltou para uma segunda passagem no Corinthians, onde dessa vez não foi tão bem.

Carille com a camisa do Ittihad. (Foto: Divulgação/Ittihad)

Marcos Paquetá

Marcos Paquetá treina a principal equipe do Bahrein, o Muharraq Club e vem fazendo boa campanha, vice-líder no Campeonato, mas empatado na pontuação e está classificado para a final da Copa do Rei do Bahrein. Sua equipe tem o segundo melhor ataque e a segunda melhor defesa do campeonato.

Paquetá começou no Bangu e o sub-20 de Flamengo e Fluminense, mas se destacou mesmo treinando a Seleção Brasileira sub-17 e sub-20, sendo campeão mundial com ambas. Após passagem pelo Avaí, chegou ao futebol saudita e conquistou vários títulos pelo Al Hilal, sendo o técnico da Arábia Saudita na Copa de 2006, depois passou pelo Al Gharafa, do Catar e também conquistou títulos inéditos com o clube. Treinou também a Seleção da Líbia e passou também pelo futebol dos Emirados Árabes, Egito e em 2018 teve rápida passagem pelo Botafogo.

Paquetá conduzindo treino no Muharraq, do Bahrein. (Foto: Divulgação/Muharraq)

 

Milton Mendes

Milton Mendes tenta renascer no futebol português após trabalhos que não deram muito certo no Brasil, além de acusação de crime de assédio que recebeu de uma funcionária de um hotel quando treinava o São Bento, o que culminou em sua demissão. Está treinando o sub-23 do Marítimo e até agora em três jogos conquistou uma vitória, um empate e uma derrota, deixando o time em terceiro lugar, o que garante vaga na disputa pelo título.

Milton anunciado no Marítimo. (Foto: Divulgação/Marítimo)

Milton Mendes começou sua carreira em Portugal e depois foi para o Catar. Chegou no Brasil em 2014 para treinar Paraná, Ferroviária (Campeão Série A2 do Paulista),  Athletico, começou trabalho promissor com Santa Cruz vencendo Copa do Nordeste e Estadual, mas foi demitido, passando depois por Vasco, Sport, Santa Cruz novamente e São Bento.

Nelsinho Baptista

Nelsinho é o 12º técnico mais velho do mundo e está na sua 16ª temporada no futebol japonês, teve passagem por lá em 94 até 96, onde conquistou 2 vezes a JLeague e a Copa do Imperador e voltou em 2003 para treinar o Nagoya Grampus, após sair em 2005 voltou em 2010 e no período conquistou seis títulos no Kashiwa, conseguindo o acesso para a JLeague e vencendo no mesmo ano que subiu, além de outros títulos. Saiu depois para ficar três anos no Vissel Kobe e teve curta passagem sem sucesso no Sport. Voltou para o Kashiwa em 2019 e conquistou pela segunda a vez a J-League 2, somando seu sétimo título no Japão.

Nelsinho comemorando título do Campeonato Japonês. (Foto: Divulgação/Kashiwa)

No futebol brasileiro ficou conhecido por ser campeão brasileiro pelo Corinthians em 1990 e pela Copa do Brasil no Sport em 2008, além de uma Mercosul pelo Internacional em 1996 e títulos estaduais por Athletico, São Paulo e Goiás. Atualmente ele está com o Kashiwa ocupando a quinta colocação do Campeonato Japonês e está nas semifinais da Copa do Imperador.

Péricles Chamusca

Péricles Chamusca está em seu segundo trabalho na Arábia Saudita, na sua segunda passagem pelo Al Faisaly. Antes havia passado pelo Al Hilal. Técnico há 20 anos, ele ainda não conquistou títulos por lá, treinou apenas cinco jogos o Al Hilal e no Al Faisaly nessa temporada deixou o time na quinta colocação. No exterior já havia treinado o Oita Trinita, do Japão, onde ficou por quatro anos e tirou o time da Segunda divisão e ainda conquistou título da Copa japonesa e também fez bons trabalhos no Catar: Levou o Al Arabi ao título da Copa Sheik e conquistou vaga inédita com o Al Jaish na Liga dos Campeões da Ásia.

No Brasil ele começou no Vitória, mas seus grandes trabalhos foram em Brasiliense (vice-campeão Copa do Brasil 2002 e Campeão da Série C) e Santo André (Campeão da Copa do Brasil em 2004), brigou por título brasileiro no São Caetano em 2004 e depois rodou por times como Santa Cruz, Goiás, Botafogo e Coritiba. Tem também 8 títulos estaduais no seu currículo.

Chamusca durante treino do Al Faisaly. (Foto: Divulgação/Instagram)

 

Ricardo Tuca Ferretti

Ricardo Ferretti, ou mais conhecido como Tuca, é mais conhecido no Brasil pelos seus ataques de raiva registrados pela imprensa mexicana do que pelo seu trabalho como treinador. Muito se deve pelo fato de nunca ter treinado nenhum time brasileiro. Desde 76, quando ainda era jogador ele está no futebol mexicano e é técnico há 29 anos no país. Talvez seja o técnico mais vitorioso dessa lista pois coleciona 13 títulos no México, entre os mais importantes sete mexicanos e duas CONCACAF´s. Atualmente está no Tigres e ocupa a quinta colocação do Campeonato.

Tuca, que tem nacionalidade mexicana, começou sua carreira no Pumas, passando depois por Chivas, Tigres, Toluca, Monarcas Morelia e está no Tigres desde 2009, onde saiu apenas duas vezes para atuar como técnico interino na Seleção do México. Ele é conhecido por um estilo com força defensiva e ataques rápidos.

Tuca durante partida do Tigres. (Foto: Reprodução/Depor)

 

Confira a lista com todos os países que tem técnicos brasileiros:

 

Albânia- Marcelo Troisi (KS Turbina)

Alemanha- Ricardo Ferreira Ratte (SR Neustadt), Sidnei Marschall (Hamm United), Mineiro, ex-jogador do São Paulo (Hebler 06 sub-19), Jaime Wink (TV Stemmen)

Arábia Saudita- Fábio Carille (Al Ittihad), Péricles Chamusca (Al Faisaly), André Gaspar (Al Hazm), Heron Ferreira (Najran SC)

Bahrein- Marcos Paquetá (Muharraq Club)

Bósnia- Wagner Lago (S.Brieg sub-19)

Camboja- Leonardo Vitorino (Phnom Pehn)

China- Marcelo Rospide (Meizou Hakka), Vila (Hb Olle Elite) e Luiz Felipe (HB Chufeng)

Costa Rica- Leonardo Moreira (Mpl. San Ramón)

Dinamarca- Felipe (FC Jurs)

EUA – Marcelo Serrano (Bold FC), Paulo Nagamura (Kansas City II), Michel (Foro SC), Anderson da Silva (Villages SC) e Palhinha (Boston City)

Espanha- Catanha (Málaga City Academy)

Estônia- Alan Arruda (Tabasalu sub-19)

Filipinas- Ronaldo Luís (Nomads SC)

Finlândia- Ozeias Graciano (MP sub-19)

França- Cris, ex-jogador de Grêmio, Vasco, Lyon e Seleção Brasileira (Grand Ouest Ass)

Gilbratar- William (Lincoln FC)

Grécia- Luciano de Souza (Panetolikos sub-19)

Holanda- Hugo (HFC 15)

Hong Kong- Jorginho (Citizen AA) e Joel Cornelli (South China)

Indonésia- Teco (Bali United), Carlos Oliveira (Arema FC), Jackson F. Tiago (Persipura) e Gomes de Oliveira (Medan)

Itália-Romulo Togni (Mezzolara)

Japão- Antônio Carlos Zago (Kashima Antlers), Nelsinho Baptista (Kashiwa Reysol) e Amaral (Tonan Maebashi)

Luxemburgo- Raniere (RL Lachorette) e José Wellington Raposo

Macau- Gilmar Tadeu (C.P.K)

Malásia- Tarcísio Pugliese (Felcra FC)

Nepal- Marcus Dantas (Friends Club)

Nicarágua- Flávio da Silva (Diriangén)

Peru- José Carlos Amaral (CD San Ramón)

Portugal – Milton Mendes (Marítimo sub-23) e Matheus Mendes (Acadêmica sub-23)

Suécia-  Álvaro Santos (Helsingborg)

Suíça-Antônio dos Santos (Schaffausen II), Fabinho (FC Will II), Felipe Giacomini (FC Wangen) e Piu (FC Muri)

Tailândia- Alexandre Gama (Muanghtong United),  Arthur Bernardes (Rayong), Carlos Eduardo Parreira (Chiangmai),  Douglas (Ratchaburi FC B), Mano Polking (Bangkok United) e Reuter Moreira (Satun United)

Turquia- Mert Nobre (Genclerbiligi) e Anderson(Adana Demirspor)

Anderson durante treino do Adana. (Foto: Divulgação/Adana)