Negueba, Gabriel Silva, Dória…Lembra deles? Saiba onde estão alguma das promessas do futebol brasileiro na última década que estão “esquecidos” no exterior:
Negueba em ação pelo Gyeongnam (Foto: Divulgação/Instagram Gyeongnamfc)

O futebol brasileiro revela várias promessas todos anos, mas nem todos seguem o mesmo caminho de ficar no cenário da primeira prateleira de times grandes da Europa. Alguns rodaram por vários times sem sucesso, mas outros conseguiram se tornar ídolos em países fora dos holofotes das grandes mídias. Trouxemos alguns jogadores que passaram pela Seleçãbrasileira sub-17 de 2010 a 2013 e na Sub-20 de 2010 a 2015.

Geração sub-17 2011:

Campeão sul-americano e 4º lugar Mundial

Charles (Marítimo-Portugal)

Charles com a camisa do Marítimo. (Foto: Divulgação/Marítimo)

Charles foi titular na campanha da Seleção no Sul-americano e Mundial 2011, mas nunca chegou a ser titular. Começou na base do Cruzeiro e ainda no sub-20 foi para o Vasco e lá atuou por 9 jogos e em 2016 foi para o Marítimo, onde está até hoje. Era titular da equipe, mas após algumas falhas na última temporada virou reserva e ainda não entrou em campo neste ano. Lá também atua outro jogador que fez parte dessa geração, Cláudio Winck, ex-Internacional e Vasco.

Lucas Piazon (Rio Ave-Portugal)-

Piazon atuando pelo Rio Ave nessa temporada. (Foto: Divulgação/Instagram)

Piazon surgiu com muita expectativa no São Paulo e nas seleções de base e foi vendido para o Chelsea antes de estrear no profissional, mas em 9 anos fez apenas 3 jogos e passou por Málaga, Vitesse, Frankfurt, Reading, Fulham, Chievo e está há duas temporadas no Rio ave, onde soma quatro gols.

Léo Bonatini (Grasshopers-Suíça)

Em partida do Campeonato Suíço. (Foto: Divulgação/Instagram)

Artilheiro do Brasil no Sul-Americano, Bonatini surgiu muito bem no Cruzeiro e foi emprestado ao sub-19 da Juventus e também ao Goiás. No Estoril, no Al Hilal e no Wolverhampton foi artilheiro das equipes, mas na Premier League perdeu espaço no Wolves, sendo emprestado ao Vitória Guimarães, Nottingham Forest e agora está no futebol suíço, onde tem 2 gols em 5 jogos.

 

Pedro Paulo (Sai Gon-Vietnã)

Pedro Paulo comemora seu gol protestando contra o racismo (Foto: Divulgação/Sai Gon FC)

Pedro Paulo teve ótimo começo na base do Cruzeiro, mas nunca chegou a atuar no profissional e fez 3 jogos pelo Athletico, emprestado depois ao Rio Ave e Acadêmico de Viseu, Lampang FC, da Tailândia e no Sai Gon vive o auge da carreira. É o artilheiro da Liga com 11 gols na temporada com média de 0,73 gols por jogo.

Wellington Melo (US Ben Guerdane-Tunísia)

Wellington Melo na Tunísia. (Foto: Divulgação/Foot 24)

Cria do Vitória, o atacante fez 1 gol no Mundial de 2011, mas depois passou apenas por equipes de pequeno porte no Brasil como Santa Rita, Uberlândia, Ferroviária, Barra-SC, Caxias, Bragantino, Taubaté, Penapolense, Marcílio Dias e chegou ao Ben Guerdane da Tunísia nessa temporada e são 7 gols em 12 jogos.

Ademílson (Gamba Osaka-Japão)

Ademilson após marcar. (Foto: Divulgação/Instagram)

Artilheiro do Brasil no Mundial e com 23 gols em 17 jogos pelo São Paulo na categoria sub-17, Ademílson tinha ótimos números e no profissional ainda fez 15 gols em 3 anos, mas foi emprestado ao Japão, onde atuou pelo Yokohama e depois Gamba Osaka, que o comprou e está lá há 4 anos. O jogador 6 gols em 21 jogos, mas foi suspenso recentemente por dirigir alcoolizado.

Geração sub-20 2011:

Títulos: Sul-Americano 2011 e Mundial 2011

Bruno Uvini- Sem time

 

Uvini em disputa de bola pelo seu último time. (Foto: Divulgação/Ittihad)

Bruno Uvini era um zagueiro muito promissor no São Paulo e não a toa foi titular durante toda sua trajetória na Seleção sub-20 e disputou as Olimpíadas de 2012 quando foi reserva para Thiago Silva e Juan Jesus (hoje na Roma). O zagueiro foi emprestado ao Tottenham e logo depois vendido ao Napoli, onde fez apenas dois jogos em quatro anos e foi emprestado para Siena, Santos e Twente. Foi no futebol árabe que conseguiu maior destaque na carreira. Chegou primeiro em 2016 ao Al Nassr, depois passou pelo Al Wrakah e estava no Ittihad, mas rescindiu no último dia 26.

Frauches- (Navy-Tailândia)

Frauches atuando na Tailândia. (Foto: Divulgação/Navy)

Campeão da Copinha com o Flamengo em 2011, o zagueiro foi reserva no Mundial de 2011 e disputou os Jogos Pan-Americanos do mesmo ano. Nunca conseguiu vingar o esperado e foi emprestado pelo Flamengo ao Macaé, Boavista-RJ até o fim do seu contrato. Há 4 anos na Tailândia, atualmente ele atua pelo Navy, da Segunda divisão do país.

Zé Eduardo- (Sandefjord-Noruega)

Zé Eduardo em treino na Noruega. (Foto: Divulgação/Instagram)

Zé Eduardo é um meia revelado pelo Cruzeiro que chegou a ser titular na Seleção ao lado de Casemiro, mas não conseguiu tanto sucesso quanto seu companheiro. Passou por Ajax, Parma, Empoli, Padova, OFI, da Grécia, Cesena e Virtus Lanciano, da Itália, Bragantino, Boavista-RJ, FC Will, da Suíça, onde teve certo destaque e chegou essa temporada ao Sandefjord, da Noruega.

Gabriel Silva (Saint-Étienne)

Gabriel com a camisa do Saint Etienne. (Foto: Divulgação/Saint Etienne)

Gabriel foi o lateral-esquerdo titular do Mundial de 2011 e prometia muito no Palmeiras. Foi vendido a Udinese e após três anos foi emprestado para Carpi e Genoa, passando também pelo Granada, até ser vendido para o Saint-Étienne, onde fez duas primeiras temporadas com sequência de jogos, mas desde 2019 fez apenas 10 jogos, chegando algumas vezes a compor o time B da equipe francesa. Atualmente está lesionado e ainda não atuou na temporada.

Diego Maurício (Odisha FC-Índia)

Diego comemora o gol da vitória. (Foto: Reprodução/Youtube)
Diego comemora o gol da vitória. (Foto: Reprodução/Youtube)

Diego Maurício não era titular naquela geração, mas no Sul-Americano sempre entrava no segundo tempo e fez 2 gols naquela campanha. No Flamengo era chamado de “Drogbinha” e após três anos sem render o que se esperava dele foi vendido para o Spartak Vladikavkaz e passou também por Sport, Vitória Setúbal, Bragantino, Al Qadisya, da Árabia e passou pelo futebol sul-coreano, onde marcou 26 gols em três temporadas. Estava no CSA ano passado e chegou recentemente ao Odisha, da Índia, mas o campeonato indiano ainda não começou devido a pandemia.

Negueba (Gyeongnam-Coreia do Sul)

Negueba em jogo do Gyeongnam. (Foto: Reprodução/Kleague)

Mais um nome que surgiu no Flamengo e foi o craque da Copinha em 2011, era reserva de luxo no Mundial, mas acabou não fazendo o sucesso que se esperava. Fez 83 jogos pelo Flamengo e 5 gols, passando também por São Paulo, Coritiba, Grêmio, Atlético-GO, Ponte Preta e Londrina. Desde 2018 na Coreia do Sul, ele tem 7 gols. Jogando na Segunda divisão do país ele é o reserva com mais gols (2) e também o reserva com mais cartões vermelhos (1).

Geração sub-17 2013

Auro (Toronto-Canadá)

Auro atuando pelo Toronto. (Foto: Divulgação/Instagram)

Auro começou no São Paulo e fez parte da Seleção brasileira sub-17 e também da sub-20. Chegou a fazer 30 jogos pelo São Paulo, mas foi emprestado para Linense e América-MG e há 2 anos está jogando a MLS, onde é titular absoluto no Toronto.

Caio Rangel (Zira FK-Azerbaijão)

Caio Rangel terá sua terceira passagem pelo futebol europeu (Foto: Divulgação/Zira FK)

Começou no Flamengo e fez um ótimo mundial sub-17 e deixou o Flamengo antes de estrear no profissional e foi vendido ao Cagliari, da Itália, com apenas 18 anos. Depois foi emprestado ao Arouca, de Portugal, Cruzeiro sub-20, Criciúma e passou também por Juventude, Paraná, São Bento e Ferroviária. Está no Zira, onde é reserva e só tem 3 jogos.

Joanderson (Gainare Tottori-Japão)

Joanderson está atuando pela primeira vez fora do país (Foto: Divulgação/Gainare Tottori)

Joanderson desde a categoria sub-15 fez 72 gols na base do São Paulo, mas no profissional nunca chegou perto dessa média. Saiu sem estrear pelo Tricolor e ainda passou por Cruzeiro, Internacional, Atlético-GO, Criciúma e Grêmio. Está na terceira divisão do Japão, onde tem 1 gol em 7 jogos.

Geração sub-20 2013:

Último colocado no Sul-Americano e não se classificou para o Mundial

Mansur (Santa Clara-Portugal)

Mansur foi anunciado pelo clube nas redes sociais (Foto: Divulgação/Santa Clara)

Mansur começou na base do Bahia, mas foi jogando pelo Vitória que ganhou mais destaque e foi titular no sul-americano sub-20 de 2013. Passou depois por Atlético-MG, Sport, Paraná e São Bento. Chegou esse ao Santa Clara e vem sendo titular.

Bruno Mendes (Cerezo Osaka-Japão)

Bruno Mendes comemora o 6º gol dele em 13 jogos nesta temporada. (Foto:Reprodução/Instagram)

Bruno Mendes surgiu bem no Guarani e aos 18 anos já foi contratado pelo Botafogo e nos 8 primeiros jogos fez 6 gols. Passou também por Atlético Paranaense, Avaí, Vitória Guimarães, de Portugal, se destacou novamente no Guarani e vem se destacando no Japão.

Dória (Santos Laguna-México)

Dória festejando o seu gol. (Foto: Divulgação/Instagram)

Dória surgiu muito bem no Botafogo e era um dos líderes da Seleção. Foi vendido cedo ao Olympique de Marseille e emprestado ao São Paulo e também para o Granada e Malatyaspor. Desde 2018 está no Santos Laguna e tem 9 gols pela equipe.

Leandro (FC Tokyo-Japão)

Leandro comemorando gol na partida.(Divulgação/Tokyo FC)

Leandro era uma das promessas do Grêmio e fez duas temporadas boas no clube, mas depois caiu de rendimento e foi emprestado ao Palmeiras, onde foi o grande nome na Série B, passou também por Santos e Coritiba e está se destacando no Japão desde 2017.

 

Geração sub-20 2015:

Quarto lugar no Sul-americano e 2º lugar no Mundial

Danilo Barbosa (Nice-França)

Danilo em ação pelo Nice. (Foto: Divulgação/Nice)

Danilo era um dos grandes nomes daquela Seleção e foi vendido pelo Vasco aos 17 anos para o Braga e fez apenas 9 jogos no profissional. Já atuou por Valencia, Benfica, Standard Liege e está no Nice há três temporadas.

Nathan (FC Zurich-Suíça)

Nathan foi criado na base do Palmeiras e era muito promissor na base, mas teve pouco espaço e foi emprestado para Chapecoense e Criciúma. Está desde 2017 na Suíça. Ele atuou no Sul-Americano, mas não atuou no Mundial.

Nathan pelo Zurich. (Foto: Divulgação/Zurich)