Jemerson chega ao Corinthians para tentar fazer as pazes com seu bom futebol. Confira como foi sua passagem pela França:
Jemerson em ação pelo Mônaco (Foto: Reprodução/Instagram)

Brasileiro caiu muito de rendimento nos últimos dois anos, assim como quase todo o time do Mônaco, que chegou muito perto de ser rebaixado para a Ligue 2 em 2019

Revelado pelo Atlético-MG, Jemerson foi desde cedo tratado como uma das principais promessas do futebol brasileiro, e muito jovem já ganhava chances na seleção principal, o que fez com que com pouco tempo no galo, ele chamasse a atenção de diversos clubes europeus, e acabasse se transferindo por 11 milhões de euros em janeiro de 2016, para o Mônaco.

Jemerson participou de uma temporada histórica na equipe francesa, quando foi campeão francês, e chegou até às semi-finais da Champions League, porém, de lá pra cá, aquele time do Mônaco se desmontou, o clube entrou em uma grave crise institucional, e ele caiu muito de rendimento, potencializando alguns de seus defeitos, que nunca foram corrigidos no seu período no futebol europeu.

Confira abaixo as principais características do novo reforço do Corinthians:

Bola parada

Até por causa de sua estatura de 1,84,  Jemerson é uma boa arma na jogada aérea de bola parada, o que certamente será uma arma importante pro Corinthians, que já tem Gil, que é perigoso neste quesito.

Confira abaixo o gol de Jemerson contra o Toulouse em partida válida pela Ligue 1 da temporada 17/18:

Zagueiro habilidoso

O grande ponto forte de Jemerson sempre foi a sua qualidade na saída de jogo, a exemplo disso, até mesmo na sua pior temporada na carreira, a 18/19, ele foi um dos três jogadores que mais acertou passes em todo elenco do Mônaco, tendo feito uma média de 87% de acertos.

Logo, naturalmente, ele já ajuda bastante a saída de bola do Corinthians, que ganha um zagueiro que tem bastante qualidade com a bola nos pés.

Problema com pressão 

Esse é um problema que saiu com o Jemerson aqui do Brasil, pois ele nunca foi zagueiro de reagir muito bem à pressão, e não conseguiu evoluir bem neste quesito, a ponto de ter entregado alguns gols enquanto vestia a camisa do Mônaco. E isso não aconteceu apenas a partir do momento que o nível de atuação geral da equipe caiu, e sim, desde que ele chegou, como pode ser conferido abaixo na partida contra o Toulouse ainda na temporada 2016/2017:

No pior ano em disparado de sua carreira, o Jemerson além das falhas pontuais que já costumava cometer, passou a jogar sem confiança, e chegou a decidir algumas partidas para os adversários do Mônaco. Um exemplo claro, é o jogo contra o Montpellier, no tempo que era treinado pelo campeão mundial, Henry. Nesta partida, o Mônaco ganhava até o fim do jogo, quando ao errar o tempo da bola aérea em um lance, e perder a posse da bola devido a pressão exercida pelo adversário dentro da área, ele acabou sendo o grande responsável pela derrota de sua equipe, conforme pode ser conferido abaixo:

Alta média de perda de bola

A média de perda de posse de bola por partida do Jemerson só cresceu desde a temporada 17/18. Nesse ano, segundo o SofaScore, ela foi de 5,9 perdas por partida, o que já não é uma média muito baixa. Em 18/19, esse número subiu para 6,8, e posteriormente, em 19/20, subiu para 9,3.

Algumas coisas que podem explicar isso vão desde o estilo de jogo de sua equipe, que mudou bastante desde que ele chegou, vale ressaltar que ele foi campeão francês com um elenco histórico, que gostava de ficar com a bola, o que valorizava a sua habilidade técnica, até mesmo ao fato de que na temporada 19/20, onde ele teve a média de 9,3 perdas de bola por partida, ele já não tinha a confiança de seu clube, era reserva, e jogou apenas 13 partidas, sendo todas elas do lado direito, onde não é acostumado a jogar.

Jemerson melhora a zaga do Corinthians? 

Jemerson é um zagueiro que chegou ao nível de Seleção Brasileira, e viveu uma ascensão muito grande no começo de sua carreira, o fato de estar vindo ao Corinthians no momento em que o clube vive hoje, evidencia que o atleta vive um momento de baixa, aos 28 anos de idade. Porém, inserido num bom ambiente de trabalho, e tendo uma boa sequência de jogos, é bem capaz que retome a confiança que lhe consagrou no começo da carreira.

Portanto, o fato é que o brasileiro caiu muito de rendimento nos últimos dois anos, assim como quase todo time do Mônaco, que chegou muito perto de ser rebaixado para a Ligue 2 m 2019, logo, sua contratação se trata de uma boa aposta, que teria grandes chances de dar certo, se o Corinthians não vivesse o momento político, esportivo, e financeiro atual.

Mas calma, isso não quer dizer a aposta dará errado, é apenas um alerta de que existe um risco natural neste caso, que não deve ser ignorado.