Maradona conviveu com seis brasileiros ao longo da sua carreira como técnico e jogador. Saiba quem são eles:
Maradona com Careca (esquerda) e Alemão (direita). (Foto: Divulgação/Napoli)

O mundo do futebol parou na semana passada com a morte do maior ídolo argentino e um dos maiores nomes do futebol mundial, Diego Armando Maradona faleceu aos 60 anos deixando grandes feitos e uma admiração eterna de milhões de pessoas. Ao longo de sua carreira como jogador e técnico, Maradona atuou com quatro jogadores brasileiros, os mais conhecidos com certeza são Careca e Alemão, que atuaram com Diego no auge da sua carreira. Como treinador, ele comandou dois brasileiros durante sua passagem no Al Wasl, dos Emirados Árabes. Saiba quem são eles:

André Catimba-Argentinos Juniors

 

André Catimba e Maradona em 1980. (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)

O primeiro brasileiro a atuar com Maradona foi o ex-Grêmio, André Catimba, que atuou com Diego no Argentinos Juniors em 1980. O brasileiro já tinha 34 anos, mas o argentino ainda tinha apenas 19 e estava dando seus primeiros passos. Em entrevista ao GE, Catimba revelou que o jovem na época o defendia pelas injúrias raciais sofridas.

André Catimba é um centroavante revelado no Ypiranga-BA e com passagens por Galícia, Vitória, Guarani, Grêmio, Bahia, Argentinos Juniors, Pinheiros-PR, Náutico, Comercial, Ypiranga-BA e Fast Clube.

Alemão e Careca- Napoli

Maradona com Careca (esquerda) e Alemão (direita). (Foto: Divulgação/Napoli)

Alemão e Careca foram os brasileiros que mais fizeram história ao lado de Don Diego conquistando os maiores títulos da história do Napoli, a única Copa da UEFA da história do clube, um dos dois títulos da história napolitana e também uma das duas supercopas do clube italiano (a última conquistada em 2020).

Foi o melhor time e o mais vitorioso da história do Napoli, onde Careca e Maradona fizeram uma dupla que infernizava os adversários e Alemão que atuava como volante fazia a contenção daquele time histórico.

Careca surgiu no fim da década de 70 no Guarani e se notabilizou como um dos grandes artilheiros da época, chegando a disputar duas Copas do Mundo. Atuou também por São Paulo antes de ir para o Napoli e depois jogou por Kashiwa Reysol, do Japão, Santos, Campinas e São José.

Alemão foi revelado pelo Fabril, depois atuou por seis anos no Botafogo até ter passagem de duas temporadas no Atlético de Madrid, depois foram quatro anos no Napoli, dois na Atalanta e no São Paulo e encerrou sua carreira no Volta Redonda.

Duda- Newell´s Old Boys

Duda com a camisa do Newell´s. (Foto: Divulgação/Facebook)

Talvez essa história nunca tenha sido falada nas grandes mídias, mas Duda foi um brasileiro que atuava no futsal, mas foi contratado para atuar no futebol de campo do Newell´s e atuou com Maradona em sua breve passagem de 5 jogos pelo clube argentino.

Marcelo Freitas Soares, mas conhecido como Duda, antes havia atuado no futebol de campo também do Corinthians e depois do Newell´s atuou apenas no argentino Los Andes. Sua passagem no time de Maradona foi de 10 jogos e ele marcou 1 gol, que ganhou a capa dos jornais:

Gol de Duda ganhou destaque nos jornais argentinos. (Foto: Divulgação/Facebook)

Alexandre Oliveira- Al Wasl

 

Alexandre Oliveira pelo Al Wasl. (Foto: Divulgação/Al Wasl)

Alexandre Oliveira estava consolidado no Al Wasl, era o artilheiro do time e tinha conquistado títulos, mas acabou sendo dispensado por Maradona mesmo sem entrar em campo chegando logo depois ao Botafogo sendo comparado a Emerson Sheik que era bicampeão brasileiro na época e também havia chegado do mundo árabe, mas acabou fazendo apenas 8 jogos e 1 gol no clube.

Alexandre começou sua carreira no Athletico e depois passou por Paraná, Guarani, Londrina, Iraty, Coritiba, cinco anos no Al Wasl, voltou ao Botafogo, depois saiu para se destacar no Londrina e jogou por Atlético-GO até se aposentar no Londrina.

Alex Pires- Al Wasl

Alex Pires atuando pelo Al Wasl. (Foto: Divulgação/Ogol)

Alex Pires foi outro que não teve oportunidades com Diego Maradona e chegou a polemizar na época falando que o argentino não gostava de brasileiros, pois ele e Alexandre Oliveira foram dispensados. Segundo entrevista para o site JC em 2011, ele disse que só três estrangeiros podiam atuar e ele era sempre o quarto da lista. Em resposta, Maradona disse que não conheceu Alex, só sabia que havia jogadores insatisfeitos que queriam sair e disse ter levado um brasileiro para as categorias de base do time.

Alex Pires é um atacante que começou na base do Fluminense, mas nunca atuou lá e foi emprestado ao Internacional sub-20, para o Al Wasl e Santa Cruz. Depois do Santa, passou por Concórdia, Inter SM, Roma Apucarana, Villa Nova-MG, Goytacaz, Aimoré, Caçador, Itapirense, Atlético-PB e Baré, seu último time em 2018.